segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Herdeiro da Escuridão de Paul Cleave




Herdeiro da Escuridão
Paul Cleave
Editora: Fundamento
ISBN: 9788539501991
Número de páginas: 334
Onde Comprar:  Cultura  | Book Depository



Meu histórico profissional tem um estágio de 4 anos no TJMG atendendo pacientes judiciários inimputáveis, isto é, que devido a um transtorno psicótico cometeram delito e por isso não foram considerados responsáveis por seus atos.
Não entrarei nos pormenores teóricos e jurídicos que inferem nesse processo, mas quando a Jú me mandou a sinopse desse livro, meus olhinhos brilharam!


Claro que ando muito mais interessada em temas leves e divertidos, mas um bom suspense com parceria em transtornos mentais, qual psicólogo não se interessaria?

Herdeiro da escuridão já em seu prólogo diz a que vem.Nas primeiras duas páginas do livro, sabemos um pouco da história de Edward Hunter.Quando Ed tinha nove anos assistiu a prisão de seu pai, que surpreendeu toda a família, revelado-se um serial killer responsável por várias mortes de prostitutas.

Sua mãe entrou numa depressão, e quando ela não gritava com as crianças (Ed tinha uma irmã um pouco mais velha, Belinda), chorava bêbada.


No aniversário de um ano da prisão do pai, Ed e Belinda encontraram a mãe nadando no próprio sangue dentro de uma banheira depois de cortar os punhos.As crianças foram rejeitadas pela tia e acabaram no lar dos avós, que não tinham mais saúde nem paciência para elas.


Belinda logo desistiu desse lar e foi morar nas ruas, transformando-se no que havia sido o objeto de caça do pai. Se drogava para suportar a prostituição.

Até o dia que a polícia bateu a porta informando ter encontrado o seu corpo.

Essa infância problemática já é material bastante para uma mente desequilibrada.

Vale ressaltar, que Edward foi registrado com o mesmo nome do pai, mas o rótulo e a necessidade de desvinculação, o faz mudar de nome.

Edward cresceu e convive diariamente com os olhares de desconfiança, sempre foi tratado como uma "bomba relógio".Todos acreditam que a qualquer momento ele vai responder ao chamado do sangue do pai e mostrar-se um serial killer também. É o velho ditado "filho de peixe, peixinho é", assim a sociedade o vê, com absoluta descrença em sua capacidade de superação. Contrariando essa perspectiva, Edward se forma em contabilidade, se casa e vira pai de uma linda menininha. Tem um lar amoroso e feliz.Leva uma vida pacata e tranquila. Isso até o fatídico dia que entra em um banco com a esposa e esse banco é assaltado.

Durante o assalto, os bandidos matam o gerente e chamam a caixa para seguir com eles. Edward, numa ação reflexa, a defende e conseqüentemente os ladrões levam a esposa de Ed no lugar da funcionária, ela acaba sendo assassinada na porta do banco, falecendo em seus braços.

Desse momento em diante, acompanhamos, com descrença, as atitudes absurdas da sociedade.


Gerentes negando créditos logo após o conhecimento do crime, seguradora mandando correspondência informando que assassinato não é coberto e os próprios colegas de trabalho de Ed cobrando prazos durante o funeral da esposa...
Sério, é impressionante e revoltante.


Edward recebe uma mensagem do pai, preso, que este teria informações sobre os assassinos de sua mulher e daí desenrola toda a confusão.

O livro é narrado em terceira pessoa, ora com enfoque em Edward, ora com enfoque no detetive Schroder, que aliás é "o cara".

O detetive Schroder esteve em todos os eventos marcantes da vida de Edward, era um novato quando seu pai foi preso, investigou o suicídio da mãe e deu a notícia da morte da irmã. Agora, ele está investigando o assalto a banco e demonstra genuína pena pela perversa história de vida de Edward.

Esqueça toda e qualquer ideia de final e de desenrolar de história possível.


Esse livro dá um nó na nossa mente, tensão pura.Em vários momentos, me senti como naquele episódio de Friends, um em que Rachel está lendo "O Iluminado" e Joey sugere que ela coloque o livro no congelador, já que ela está apavorada.Eu confesso que fiquei com muita vontade de colocar no congelador, pois tive medo de virar as páginas.


Além de medo, tensão e agonia, chorei e chorei mesmo em duas passagens bastante marcantes desse livro.

Não posso dar detalhes e vocês sabem porque (spoiler).O livro é rico em detalhes.
Então, se você é uma pessoa que se impressiona, melhor pular essa leitura, ao contrário, é pesadelo na certa.
Mas se você gosta de um ótimo suspense policial, não pode perder!






Denise Ayres Resenha por Denise Ayres.

Amiga, psicologa, mãe, companheira de loucuras literárias (ou não) e agora contribuidora sazonal do Lost. Escreve um blog maravilindo chamado My Book is..

3 comentários:

  1. Nossa, que história pesada! Tu ja tinha falado que era pancada, mas não sabia o que imaginar... Apesar da curiosidade pra ler, esse livro vai ficar pra depois! #tenso haha

    ResponderExcluir
  2. Nossa!! Que história diferente!!
    Fiquei louca pra ler!!!

    ResponderExcluir
  3. Raiane guilliery4 de junho de 2012 21:48

    Adorei também achei diferente

    ResponderExcluir

Um lugar para se discutir sobre a literatura conhecida como Chick–Lit. Romances, leves, divertidos e charmosos, que são o retrato da mulher moderna,inteligente e audaciosa. Resenhas e entrevistas exclusivas!


Regras
- Comentários Anônimos não serão publicados nem respondidos.
- Não faça propaganda de blogs/sites nos comentários.
- Não peça parcerias pelos comentários, use o Formulário.
- Comentários ofensivos e preconceituosos não serão aceitos.
- Respostas sempre nos próprios comentários.

Os comentários dos leitores não refletem a opinião da autora do blog, e são de responsabilidade exclusiva dos mesmos.